assessoria de
  comunicação

27/5/2015
 Realizada 2 Semana de Combate a Lesbo-homo-bi-transfobia
por Wellington Nery


O Programa de Educação em Direitos Humanos (PEDH), vinculado ao Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDH) da Uesb e à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH), realizou, entre os dias 11 e 15 de maio, a 2ª Semana de Combate a Lesbo-homo-bi-transfobia. A Semana relembra o dia 17 de maio de 1990, data marcada como o Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia, em que se comemoram as conquistas e se reforçam as lutas da comunidade LGBTTI. A programação da Semana foi desenvolvida nas escolas da Rede Municipal e Estadual de Ensino e no Instituto Federal da Bahia (Ifba) em Jequié, e o encerramento foi marcado pela conferência “Educação, Direitos Humanos, Diversidade Sexual e de Gênero”, proferida pelo professor Felipe Bruno Martins Fernandes, da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Para o acadêmico do 8° semestre do curso de Enfermagem, Cristino Morais Sampaio, a sociedade jequieense ainda precisa repensar as questões de direito humanos, “principalmente, quando se é relacionado à orientação sexual e identidade de gênero. Esse tipo de discussão é importante porque eu tenho visto aqui muita gente jovem, muita gente adolescente, e, nas escolas, ainda não temos essa discussão na rotina do ensino. Então, esses momentos são realmente interessantes porque faz com que o pessoal tenha um pensamento mais abrangente, um pensamento mais aberto, menos preconceituoso sobre esses assuntos”, aponta Sampaio.

Presente no evento, o secretário municipal de Educação de Jequié, João Magno, aprovou a iniciativa da Uesb. “É importante uma conferência desse nível para a gente vir aqui e fortalecer esses vínculos que a gente tem mantido, essa relação com o Centro de Referência, com núcleo que trabalha com direitos humanos”, afirma. O coordenador do PEDH e do evento, Antonio Jeferson Xavier, avalia com exitosa a realização da Semana. “Foi a segunda Semana e isso é bem legal porque realizamos a segunda semana devido o êxito que teve a primeira. Fizemos novamente nas escolas municipais, estaduais e, como novidade, a gente fez uma parceria com o Ifba. Foram realizadas duas palestras com recepção maravilhosa. Os alunos participaram, discutiram, questionaram, os professores também. A discussão de gênero e sexualidade ainda é muito nova nas discussões acadêmica. Alguns professores alegam que não contou com essa formação e tem sido muito prazeroso o nosso trabalho”, conclui.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão