assessoria de
  comunicação

9/3/2017
 Muita autoestima no Dia da Mulher em Itapetinga
por Valcelene Amorim


Mulher, símbolo de força, delicadeza, resistência e coragem de seguir na luta pela conquista de novos espaços com igualdade e equidade. Para homenagea-las na data em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a Uesb, campus de Itapetinga, promoveu uma serie de ações.

Com o tema “Cuide-se bem para viver bem”, as atividades proporcionadas foram voltadas para a beleza das servidoras. “Esse tema é super importante. A gente aprendeu a cuidar do outro, mas precisamos aprender a cuidar de nós mesmas para poder estar bem para cuidar do outro que está ao nosso redor. Então, o cuidar bem é cuidar da beleza, da saúde, mente, espírito, é a gente cuidar da gente, ter um tempo para dizer, ‘eu me amo e preciso cuidar de mim’ para assim ter condições de cuidar da comunidade”, ressaltou Lucimeira Passos, assistente social.

Durante a programação, foram realizados serviços de avaliação capilar, design de sobrancelhas e maquiagem, o que agradou muito as participantes. Foi o caso de Valquíria de Jesus Souza Vieira, auxiliar serviços gerais. “Hoje, para mim, é um dia maravilhoso, nunca participei de um evento tão maravilhoso como este. Ano passado foi bom, mas esse está melhor ainda e cada dia melhorando mais. Estou muito feliz! Vou participar de todos os serviços oferecidos”, afirmou Vieira.

Mas o destaque da comemoração foi o desfile de moda, que teve como modelos as próprias servidoras e alunas da Universidade e foi pensado para desestimular estereótipos de beleza. “Hoje fizemos uma coisa diferente de tudo que a gente já fez, estamos promovendo um desfile para estimular as servidoras a se cuidarem, a se amarem do jeito que elas são, independente de peso, estatura, aparência”, salientou Jolucia Santos de Jesus, da Coordenação de Recursos Humanos (CRH) do campus de Itapetinga.

Para Sthefani Ferraz Tavares Andrade, aluna do terceiro semestre do curso de licenciatura em Química, que participou do desfile, a iniciativa da Universidade foi de suma importância para estimular a aceitação feminina das suas formas naturais. “Para mim, está sendo muito interessante porque é exatamente isso, a gente está quebrando padrões, aqui tem magra, gorda, alta, baixa, e é isso que realmente nós somos, é a nossa realidade de mulher de verdade”, afirmou.

Rosangela Batista Nascimento, coordenadora do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão de Pessoa com Deficiência (Naipd), destacou a importância do evento para a elevação da autoestima feminina e valorização da mulher no ambiente de trabalho. “O que a Universidade está promovendo nesse dia é algo magnífico. Primeiro porque eleva a autoestima e segundo porque a mulher precisa ser valorizada, amada. Embora ela seja um ser forte no dia a dia, ela precisa ser valorizada, amada, cuidada”, pontuou.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão