assessoria de
  comunicação

15/5/2017
 Roda de Discussão teve como tema Universidade Pública
por Wellington Nery


Aconteceu na noite da última quinta-feira, 11 de maio, no Anfiteatro do Pavilhão de Aulas Professor Manoel Soares Sarmento Filho, na Uesb, campus de Jequié, a Roda de Discussão "Universidade Pública: Território e Cenário de Incertezas", evento promovido pelos alunos do 6º semestre do Curso de Licenciatura em Letras. Na oportunidade, foram palestrantes os professores do Departamento de Ciências Humanas e Letras (DCHL) Tânia Regina Braga e Marcelo Torreão Sá.

 “Acredito que o tema seja oportuno, sobretudo, porque vivemos uma mudança de condição política, em que nós vivíamos em um tempo o qual existia mais democracia e agora vivemos um conjunto de reformas que sinalizam para cada vez mais o perigo que ocorre em relação à universidade pública, como o corte de orçamento, contingenciamento de despesas, uma pesquisa direcionada para prestação de serviços ao capital, a dificuldade de pesquisar na educação. Enfim, tudo isso torna o tema extremamente pertinente para ser trabalhado aqui nessa Universidade”, avaliou a professora Tânia Regina Braga.

Já o professor Marcelo Torreão Sá destacou a relevância em discutir o próprio ambiente de trabalho.   “Essa palestra nos traz uma abordagem que é discutir o nosso próprio ambiente de trabalho: a universidade. Tanto nas suas concepções teóricas, sobre o que seria universidade, até as questões mais práticas do cotidiano que estamos vivendo, como esse corte de orçamento do governo do Estado que há dois anos está em um processo de contingenciamento muito grande e a universidade está sofrendo. Eu acredito que a partir do momento em que começamos discutir sobre o que é a universidade dentro da própria universidade, isso traz efervescência nesse debate e pode ocasionar pressões mais políticas frente ao governo para melhorias que precisamos em nossa universidade”, ponderou o professor.

Segunda a coordenadora do Colegiado de Pedagogia, professora Daniele Farias Freire Raic, essa discussão foi oportuna. “Ultimamente, eu tenho me dedicado muito à formação política, social e técnica do curso de formação professores. Então, para mim, não basta você formar um repertório que seja apenas do saber dar aula, mas, sobretudo, saber o por quê que eu dou aula, ou, por quê eu estou nesse cenário, nessa universidade, qual meu papel social hoje como professora dentro dessa sociedade” afirmou. Para ela, “a formação política do professor existe, é necessária, fundamental, de fato é um dos maiores princípios da formação do professor porque educar é um ato político, de escolhas, de decisão, é um ato que nos leva a pensar e a perspectivar outras realidades, outros mundos”.

A acadêmica do 6º semestre do Curso de Licenciatura em Letras e uma das coordenadoras do evento, Didimare Santana, reafirmou a importância da promoção dessa discussão na universidade. “É importante falar sobre esse tema porque é um assunto muito relevante no contexto em que estamos inseridos. Além disso, é uma experiência estar coordenando um evento, podendo estar próximos de temas políticos que nós procuramos saber um pouco mais e também incentivar os alunos a discutir diante desse contexto em que estamos vivendo em forma de imposição de “ termos que nos calar”, quando na verdade nós temos é que falar”, ressaltou a aluna. 



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão