assessoria de
  comunicação

2/6/2017
 Começa a 3ª edição da Felisquié, em Jequié
por Carlos Santos


Foi aberta nesta sexta, 2, no Auditório Waly Salomão, a 3ª Festa Literária Internacional do Sertão de Jequié, a Felisquié, que traz como eixo temático “O cangaço na literatura de cordel: do sertão para o mundo”. Reunindo estudantes, professores, acadêmicos, intelectuais e pesquisadores de várias obras e escritores, a 3ª Felisquié acontece na Uesb e no Centro de Cultura Antonio Carlo Magualhães até o próximo domingo, 4.

O cenário da festa que se inicia no campus da Uesb, é composto com muitos livros, palestras, atividades culturais, oficinas, exposições e de muitas pessoas tratando, especialmente, da literatura brasileira. A conferência de abertura foi proferida pelo professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Eduardo Coutinho, que abordou “A Contribuição de Afrânio Coutinho para os estudos literários no Brasil”, de quem é filho, sendo mediada pelo professor da Uesb Raimundo Lopes Matos. 

“É com imensa satisfação que eu agradeço a toda equipe do evento Felisquié, em especial ao professor Domingos Ailton, pelo convite honroso para fazer essa palestra sobre Afrânio Coutinho, meu pai, um baiano cuja obra constituiu um marco dos estudos literários do Brasil. É com orgulho também que venho celebrar com vocês a memória desse grande homem, intelectual que tanto lutou pela cultura em nosso país, atuando em todas as áreas ao seu alcance”, destacou Coutinho.

 Afrânio Coutinho foi escritor, professor, pesquisador, jornalista, educador, humanista, criador dos cursos de Letras no Brasil e Membro da Academia Brasileira de Letras.  “Afrânio Coutinho, Quixote das nossas Letras, foi um homem que acreditou no poder da sua pena, de um ofício de escritor ao qual o consagrou na história”, lembrou o filho. Para o professor da Uesb e curador do evento, Domingos Ailton, trazer um dos maiores críticos literários do Brasil, Eduardo Coutinho, é um marco para a Felisquié.          

Franciele Nascimento, do curso de Letras da Uesb, acredita que o evento é de extrema importância para a literatura. “A Fesliquié abre a minha mente para diversos horizontes de conhecimento da literatura. É o primeiro que estou participando e eu estou sendo monitora”, conta ela. No sábado, Nascimento vai aplicar a oficina “Aprendendo com as diferenças”, para crianças de 7 a 10 anos.  O estudante do Ensino Médio do Colégio Navarro de Brito, Lucas Novaes, também participa pela primeira vez. “Eu vim prestigiar minhas colegas que vieram apresentar as poesias delas e eu estou gostando bastante desse momento”, disse Novaes.

Paralelo à programação, acontece uma Feira de Lixo Eletrônico, com orientações e palestras dos discentes do curso de Sistema de Informação da Uesb. “A proposta desse evento é para mobilizar a sociedade sobre a consciência do lixo eletrônico e estamos coletando materiais para enviar para as cooperativas que fazem o tratamento adequado”, explicava  Railana Santos de Santana, da graduação em Sistema de Informação.

A 3ª Felisquié comemora também os 90 anos de Tom Jobim, com o compositor e cantor Danilo Caymmi acompanhado do músico Davi Mello.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão