assessoria de
  comunicação

2/6/2017
 Ensuba Down traz palestrantes e ouvintes de vários lugares
por Queila Chaves


A abertura do 1º Encontro do Sudoeste da Bahia sobre Síndrome de Down (Ensuba Down) foi realizada na noite dessa quinta-feira, 1º, com a presença da comunidade acadêmica, professores da Educação Básica, pais e pessoas com Síndrome de Down.

A palestra “O indivíduo e o cidadão com síndrome de Down” foi proferida por Gisele Augusta Fontes Gato. “Propomos uma reflexão sobre o âmbito da individualidade deste sujeito e essa conexão com o âmbito da sua existência pública, como esses âmbitos se relacionam e como é importante essa interação”, explicou a palestrante, que é conselheira e coordenadora da Rede de Ativadores do Movimento Down*.

O Ensuba Down é uma realização do Grupo Fala Down Conquista em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Linguística da Uesb. O objetivo do encontro é construir um espaço aberto à divulgação e reflexão de questões relevantes acerca da pesquisa na área da síndrome de Down.

Segundo a coordenadora do evento, professora Carla Ghirello-Pires, apesar dos avanços, muitas questões precisam ser discutidas com relação a esta síndrome: “É uma área que ainda tem muitos mitos e preconceitos e nós estamos aqui para mostrar que essas pessoas têm potencial e que na verdade precisam de oportunidade. Nós só quebramos preconceitos com conhecimento”, declarou.

“Estou muito feliz em representar as pessoas com síndrome de Down que estão aqui neste encontro. Obrigada” afirmou Amanda Amaral, que fez parte da mesa de abertura do 1° Ensuba Down.

Lara Maruck é mãe de Vicente, de 2 anos e meio, e João Pedro, de um ano. Segundo a mãe, os dois são igualmente espertos e afetuosos, o que diferencia é que o mais velho precisa de terapia e fonoaudióloga. Ela e o esposo vieram de Pirapora (MG) exclusivamente para participar do evento. “A gente veio aprender sobre a síndrome de Down, aproveitar a oportunidade, e passar para outras famílias e também ajudar o nosso filho. Infelizmente, é pouco divulgada a Síndrome de Down e precisa ter mais encontros para orientar melhor os pais, a família, os professores”, comentou Maruck.

Até o encerramento do evento, nesse sábado, 3, mais seis palestras relacionados à Linguística, Educação Especial e Inclusão Social serão ministradas por especialistas do Paraná e de São Paulo. Haverá ainda exposição de trabalhos nas modalidades comunicação oral e pôster, oficinas, sessão de cinema e lançamento do livro "Síndrome de Down: perspectivas atuais", da professora Carla Salati, coordenadora do Ensuba Down.

*O Movimento Down é uma ONG brasileira, fundada há cinco anos, que atua no compartilhamento de informações de qualidade para os profissionais que atuam com as pessoas com síndrome de Down e para as famílias e atua no empoderamento dessas famílias.   



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão