assessoria de
  comunicação

5/6/2017
 Seminário EaD é realizado em Itapetinga
por Valcelene Amorim


A modalidade de Educação a Distancia (EaD), já é uma realidade no Brasil desde o século 19 com o advento dos cursos por correspondência. Desde então, com o desenvolvimento de novas tecnologias, essa modalidade de educação também evoluiu e hoje representa 26% da educação superior no país. A Uesb, a partir do ano de 2006, passou a oferecer a modalidade de Educação à Distancia com a implantação do curso de graduação em Física, em parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Nesse sentido, foi realizado na última sexta-feira, 2, no campus Juvino Oliveira, em Itapetinga, o “Seminário EaD e Tecnologias da Informação e Comunicação: desafios e possibilidades da educação à distância na contemporaneidade”. O evento, que foi organizado pelo Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) e o curso de Pedagogia da Uesb, reuniu alunos, professores e profissionais da área com o objetivo de discutir a respeito das implicações da Educação a Distância tanto na Universidade quanto no cenário nacional.

“Nossa ideia é reunir profissionais, estudantes, pessoas que são entusiastas da educação a distancia e da educação progressista, digamos assim. A educação a distancia vem crescendo em nosso país e também na Universidade e, até esse momento, não tínhamos tido, principalmente aqui no campus de Itapetinga, uma discussão nessa área. A ideia é trazer e suscitar a discussão dessa nova educação que não é tão nova assim”, destacou o professor Rafael Martins Ribeiro, organizador do Seminário.

Para Edna da Silva Cardoso, aluna do terceiro semestre do curso de Pedagogia do Parfor, que tem a experiência de formação tanto na modalidade de educação a distância quanto presencial, o Seminário foi um momento para desmistificar a respeito da qualidade do ensino a distância. “Eu tenho a formação em Serviço Social em um curso EaD e a principal diferença que eu vejo é a autonomia. Se o aluno não tiver autonomia, tanto em uma quanto na outra, ele não avança, porque na EaD você tem que fazer seus horários próprios, você tem que se disciplinar. A mesma coisa o curso presencial, você tem que vir para sala, tem que ter aquela disciplina, porém tanto em um quanto no outro você vai encontrar alunos que vão se empenhar de formas diferentes”, afirmou.

De acordo com Wermerson Meira, coordenador do Parfor, a Universidade se preocupa em oferecer uma educação de qualidade em ambas às modalidades de ensino. Por esse motivo, além da graduação em Física, Pedagogia e em Computação, a Uesb oferece pós-graduações em Mídias da Educação, Ensino de Sociologia e Matemática no Ensino Médio, com algumas previsões futuras de implantação de mais curso em pós-graduação. Além disso, a pesquisa e a extensão também são desenvolvidas na modalidade a distancia assim como na presencial.

“Os cursos ofertados por meio da graduação, do ensino, pesquisa e extensão tem como objetivo discutir as práticas no que refere à educação de forma teórica e prática, uma educação dialógica, relacionada e transformadora, que é o que Paulo Freire coloca, um pensamento sempre atual do modelo humano, transformador e libertador. Então, a EaD também dá subsídios de formação, a Universidade dá esse subsidio de formação na modalidade a distancia como acontece na modalidade presencial” salientou Meira.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão