assessoria de
  comunicação

7/7/2017
 Minicurso discute a auto-referÍncia da CiÍncia e da Filosofia
por Emanuela Lisboa


Foi realizado na manhã desta sexta, 7, no Museu Pedagógico Casa Padre Palmeira, em Vitória da Conquista, o minicurso “A Auto-Referência do Saber Científico e da Filosofia”, promovido pelo Grupo de Estudos de Ideologia e Luta de Classes (Geilc/CNPQ). A atividade, conduzida pelo professor Jasson Martins, do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH), integra as ações em comemoração aos 15 anos do Geilc.

Martins (foto 1) explicou a proposta do minicurso, cujo tema também buscou compreender um pouco o próprio fazer filosófico. “O objetivo é fazer um diálogo entre a Filosofia e as Ciências, mostrando que elas têm diferenças básicas, mas, ao mesmo tempo, têm uma proximidade muito grande. Esse é o principal foco. E também tentar resgatar um pouco esse aspecto filosófico mesmo”, apontou. Segundo o professor, a Filosofia se distingue da Ciência, mas, ao mesmo tempo, é importante para a Ciência, assim como a Ciência também é importante para a Filosofia.

De acordo com o docente, o cientista quando faz algumas perguntas dentro do seu campo de atuação, ele transborda a Ciência e vai para a Filosofia. “Se olharmos os grandes cientistas, eles acabam transbordando, passando do seu recorte temático para a expressão última do pensamento, e este cai na Filosofia, necessariamente”, ressaltou. Ainda segundo o palestrante, a Filosofia é algo inquietante: “Filosofia parece uma coisa simples, quase beirando uma autoajuda, uma coisa que acalma. Ao contrário, Filosofia pra mim é sempre inquietante”, salientou.

O coordenador do Geilc, professor Rubens Mascarenhas (foto 2), explicou o perfil do Grupo, que tem uma composição multidisciplinar. “Nós temos uma visão crítica acerca da sociedade e do capital e, desde a sua existência, nós temos trabalhado com atividades acadêmicas, científicas, como também políticas. Quando entendemos que há uma necessidade, intervimos de forma também política na sociedade. Em alguns momentos mais críticos, a gente tem se posicionado explícita e publicamente nesse sentido”.

Mascarenhas destacou ainda que o Geilc está aberto à comunidade. “Por isso, uma insistência nas atividades de extensão, porque não tem sentido nosso fazer acadêmico e político dentro da Universidade se ele não serve como conexão com a comunidade em geral, que é quem realmente sustenta, patrocina e fornece os recursos para a manutenção das instituições públicas, principalmente, instituição de ensino; uma instituição universitária como é a Uesb, e que a gente está dentro dessa estrutura”, afirmou.

Para obter mais informações sobre o Grupo, entre em contato com o Museu Pedagógico pelo telefone (77) 3421-3894.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão