assessoria de
  comunicação

14/7/2017
 ForGrad Nordeste destaca formação de professores
por Emanuela Lisboa


Com o tema “Política de Formação de Professores para Educação Básica”, teve início, na manhã dessa quinta, 13, no Teatro Glauber Rocha, campus de Vitória da Conquista, o Fórum de Pró-Reitores de Graduação das Instituições de Ensino Superior do Nordeste (ForGRAD/Nordeste), uma das etapas regionais que culminará no Fórum Nacional, a ser realizado em São Paulo.

Integram o ForGrad entidades públicas federais, estaduais e municipais, instituições privadas, sem fins lucrativos e comunitárias. O objetivo dos encontros regionais é proporcionar o estudo, a troca de experiências e reflexões sobre o ensino de graduação, a partir do contexto das regiões e dos impactos das políticas públicas e perspectivas encontradas no cotidiano do fazer universidade.

A pró-reitora de Graduação da Uesb, professora Talamira Taita Rodrigues Brito, explicou as propostas do ForGrad. “É um Fórum pra gente poder conhecer realidades, refletir sobre a nossa, e criar mecanismos de sempre estar qualificando o ensino de graduação. Então, é um momento importante para o debate, para reconhecer e conhecer também pessoas que estão à frente das disputas políticas, que estão no enfrentamento dia a dia com o ensino de graduação”.

A docente também falou sobre as expectativas dos encaminhamentos, a partir dessas discussões em Conquista. “Nós sempre esperamos a consolidação de uma carta, que é lida no final do Fórum. Essa carta segue para o Fórum Nacional, que consolida sua carta maior. Como temos assentos em vários espaços e expedientes de ordem pública superior, essa carta geralmente é enviada para o Ministério da Educação, para as Associações, para os vários expedientes em que se discute formação de professores”, ressaltou.

O presidente do ForGrad, professor Cleverson Pereira de Almeida (foto 1), da Universidade Presbiteriana Mackenzie, destacou a atuação do Fórum, que este ano completa 30 anos. “O Fórum tem tido ao longo desse tempo, dessas três décadas, um papel dos mais relevantes. Nós entendemos que o Fórum é um locus onde nós nos permitimos uma reflexão coletiva compartilhada, onde nós, pró-reitores, dividimos nossas experiências, nossas angústias com as nossas realidades individuais e também das nossas instituições, mas também com o contexto macro da educação superior”.

Para fazer referência à atual situação delicada em que passa várias instituições de ensino superior no país, Almeida mencionou o subtítulo do livro publicado por ocasião dos 20 anos do Forgrad: “Unidade na adversidade”. “Literalmente, nós, por meio do ForGrad, trabalhamos e acreditamos nisso, de que a despeito das naturezas diferentes das nossas universidades e das realidades estaduais, dos contextos, nós temos uma unidade pra trabalharmos que é a graduação e a educação superior de qualidade e transformadora”. Ainda segundo o presidente, não se pode dissociar a formação de professores de um contexto muito maior, que passa por remuneração, por valorização da carreira e pelo reconhecimento social.

Para o pró-reitor de Graduação da Universidade Federal da Bahia, Professor Penildon da Silva Filho, as universidades precisam assumir mais o seu papel de apoio de relação e de interlocução com a educação básica. “A formação dos professores, tanto a formação inicial quanto a continuada, se dá na própria universidade e os índices que nós temos hoje, o Ideb e outros índices de avaliação da educação básica, indicam um longo caminho ainda a percorrer para que nós possamos garantir a qualidade na Educação. Nós conseguimos, nos últimos anos, avançar bastante do ponto de vista da abertura, especialmente no ensino fundamental, do acesso, mas agora nós temos que discutir a permanência e o sucesso do aluno na educação básica”, argumentou.

Ainda de acordo com o pró-reitor, o tema formação ainda precisa ser valorizado. “Infelizmente, nós ainda temos na educação básica muitos gestores que ainda não compreendem a importância da formação, que consideram que a formação de professores não é importante para qualidade da Educação e relegam essa questão da formação e da valorização dos docentes a um plano bem subalterno”, frisou.

O reitor da Uesb, professor Paulo Roberto Pinto Santos, ressaltou a relevância da evento para a Universidade. “Trouxemos pra dentro do nosso ambiente universitário uma discussão com os representantes da graduação das universidades do Nordeste. Com isso, nesse momento atual que nós vivemos, é fortalecer as universidades no sentindo de que possamos garantir a sua autonomia, diminuir fatores como evasão, garantir a qualidade dos nossos cursos e influir decisivamente para fazer interferências de qualidade nas políticas públicas da Educação. É algo importante que está acontecendo, aqui estamos discutindo o futuro da educação brasileira”.

Além de debater questões relacionadas à formação de professores, também faz parte das discussões a reforma do Ensino Médio. Para obter mais informações sobre o ForGrad, que segue com suas atividades até a tarde desta sexta, 14, clique aqui.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão