assessoria de
  comunicação

20/7/2017
 1º Encontro de Química e Física tem início em Itapetinga
por Valcelene Amorim


Começou na terça-feira, 18, no Auditório Juvino Oliveira, em Itapetinga, o 1º Encontro de Química e Física. Organizado pelos Diretórios Acadêmicos dos curso de Química e Física, o evento tem como objetivo apresentar essas duas disciplinas de maneira lúdica e atraente para os alunos do Ensino Médio e superior.

Durante a abertura da programação, houve o momento cultural com apresentação de músicas interpretadas para Língua Brasileira de Sinais (Libras) pelo Grupo de Estudos em Libras da Uesb, como meio de inclusão; além de uma palestra sobre “Biofísica nuclear DNA irradiado”, ministrado pelo docente Luis Nieto Gonçalez, e exposição dos trabalhos científicos produzidos pelos discentes.

“O objetivo é mostrar os cursos de Química e Física realmente para os alunos do Ensino Médio e para quem está ingressando na Universidade, e também vivenciar um pouco mais o ambiente acadêmico de pesquisa”, explicou a professora Dulcinéia da Silva Adorni, uma das organizadoras do Encontro. De acordo com Adorni, as apresentações dos graduandos abordaram, principalmente, o tema sobre o receio que os alunos do Ensino Médio têm em relação aos cursos de Química e Física. “Os trabalhos abordavam justamente esse medo, como se esses cursos fossem um bicho de sete cabeças, então, a ideia é mostrar para eles que não é isso. Tem as dificuldades, as complexidades da ciência, mas também é uma ciência muito interessante, muito prazerosa, que pode ser aprendida de uma forma diferente” ressaltou.

Em continuidade com as atividades do Encontro, na quarta, 19, foram realizados minicursos conduzidos por docentes da Uesb e de outras instituições e oficinas ministradas pelos próprios alunos da Universidade, sobre diversos temas relacionados ao cotidiano em que a Química e a Física estão presentes. Um dos minicursos foi sobre obtenção de ésteres e a identificação deles através do aroma, que teve a discente Dhiessica Santos Ribeiro, estudante do nono semestre do curso de Química com Atribuições Tecnológicas, campus de Itapetinga, como uma das palestrantes. Para ela, que não tem muito contato com sala de aula, esse momento foi singular. “Eu acho importante porque a gente já pratica um pouco essa questão de ensino. Como nosso curso é com Atribuições Tecnológicas, a gente não tem um contato assim com a sala de aula como o pessoal da licenciatura tem. E muitos dos meus colegas e até eu, por exemplo, tem interesse em dar aula”, disse.

Ainda conforme Ribeiro, esse também foi uma ocasião para desmistificar a Química. “O interesse da gente de realizar essa oficina foi porque o pessoal do Ensino Médio não tem o contato com laboratório igual a gente têm. Então, essa é uma forma até para eles mesmos terem o interesse em relação à Química, porque o pessoal fala ‘ah a química é muito difícil, tem muito calculo’, mas as pessoas não veem o lado positivo da Química, que ela está presente em tudo, que é interessante. A gente colocando eles para praticarem no laboratório, isso muda um pouco a visão deles em relação à Química” salientou.

Isso foi o que aconteceu com Rebeca Rocha Santos, aluna do terceiro ano do Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães, que apesar de não ter interesse em prestar vestibular para Química, a partir do minicursou passou ter uma visão diferente acerca dessa ciência. “Esse minicurou tornou a Química mais interessante para mim, porque eu vi que não é só aquela coisa chata, didática, mas é algo presente em todas as coisas, como a palestrante falou, ‘na essência da bala existe uma formula atrás daquilo, os aromas’. Então, tudo isso me fez vê a Química com outros olhos, não só olhos de uma disciplina, mas também como parte da vida”, frisou.

Já para Murilo Noronha Cunha, também aluno do terceiro ano do Colégio Modelo, que tem interesse pela área, o Encontro foi uma forma de conhecer melhor esse universo. “Química é uma matéria pela qual eu me interesso. Eu me inscrevi por interesse mesmo, pela matéria e pelo assunto, e é algo que eu pretendo, talvez, prestar vestibular. E também pude conhecer os laboratórios e a infraestrutura da Universidade” destacou.

O Encontro tem seguimento até esta sexta, 21, com oficinas, minicursos, palestras, mesas-redondas e apresentações de trabalho.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão