assessoria de
  comunicação

27/7/2017
 A invisibilidade do sujeito é tema de Seminários de Estágios
por Valcelene Amorim


As atividades acadêmicas devem ser desenvolvidas com base no tripé ensino, pesquisa e extensão de forma intrínseca. Desse modo, foram realizados nos dias 25 e 26 de julho o 5º Seminário de Estágio em População Diferenciada e o 4º Seminário de Estágio em Gestão Educacional, no Auditório Juvino Oliveira, em Itapetinga. Nesse semestre, os Seminários trouxeram como tema principal “A invisibilidade do Sujeito”.

De acordo com Jussara Moreira, professora do curso de Pedagogia, vinculada ao Departamento de Ciências Humanas e Educação e Linguagem (DCHEL) e uma das organizadoras do evento, a escolha do eixo temático é para despertar o olhar mais solidário da sociedade como um todo. “Esse tema é para mostrar que as pessoas precisam aprender ter um olhar mais sensível para o social. Nós cobramos muito as ações governamentais, mas é preciso que nós, enquanto sociedade civil organizada, também comecemos a perceber e se importar mais com as questões sociais que estão aí gritantes”, destacou a professora.

Gabriel de Sousa Paiva, concluinte do oitavo semestre de Pedagogia, comentou sobre a importância de trabalhar o tema invisibilidade para aprender a lidar com as diferenças e, principalmente, ter um olhar mais sensível. “Seremos futuros pedagogos, trabalharemos com a comunidade em geral, não apenas com a escola, mas para além dos muros dela. E como comunidade, nós precisamos entrar em contato com novos olhares, olhares de educadores, e precisamos aprender antes ter esse cuidado, essa sensibilidade e perceber as invisibilidades que acontecem dentro dela”, pontuou.

Nessa edição, os Seminários de Estágio trouxeram uma novidade: a 1º Roda de Conversa de Educação do/no Campo, que discutiu a respeito das realidades e perspectivas dessa modalidade de educação em Itapetinga. “Não podemos pensar em uma diferenciação na qualidade da educação. Tanto da área urbana quanto no campo, a educação tem que ter a mesma qualidade, a mesma questão cognitiva de desenvolvimento. Agora, é preciso um olhar mais sensível pelas condições e é preciso também que tenha uma adequação às questões do próprio campo, porque há uma diferença no campo quando pensamos que ali tem uma produção e que eles vivem da produção” ressaltou Moreira.

Arrecadação de donativos

Ainda conforme a professora Jussara Moreira, os estágios podem acontecer em espaços escolares e não escolares, mas de educação. “Não necessariamente os estágios são realizados em espaços formais. Eles podem acontecer em igrejas, centro de recuperações, hospitais. Então, estamos levando o pedagogo para instâncias diferentes da escola, mas que são locais de educação”, explicou a organizadora dos eventos. Segundo ela, como muitos desses espaços são invisíveis para a grande população, durante os seminários, foram arrecadados alimentos e agasalhos para doação a instituições beneficentes do município. “Nós estamos fazendo a campanha de arrecadação de alimentos e agasalhos para doar para esses espaços em que nossos estagiários estiveram”, completou a professora.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão