assessoria de
  comunicação

17/8/2017
 Prae entrega a concessão das bicicletas em Itapetinga
por Valcelene Amorim


Em busca de contribuir com o desenvolvimento acadêmico dos discentes e com a permanência deles na Universidade, o Programa de Assistência Estudantil (Prae), tem desenvolvido ao longo dos anos uma série de ações. Nesse sentido, foi concedida, na última sexta-feira, 11, aos alunos habilitados ao Programa, do campus de Itapetinga, a autorização de uso das bicicletas e a entrega do equipamento, que foram adquiridas por meio dos recursos disponibilizados pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil para as Instituições de Educação Superior Públicas Estaduais (Pnaest).

“Para implementação desta etapa, foi lançado pelo setor de Assistência e Assuntos Estudantis, o Edital 066/2017 para seleção dos discentes habilitados às ações da Assistência Estudantil da Uesb, no campus de Itapetinga”, explicou Maísa Oliveira Melo Ferraz, gerente do Prae. Ainda de acordo com Ferraz, a aquisição das bicicletas objetiva, entre outras coisas, melhorar a mobilidade dos estudantes. “A cessão de bicicletas visa viabilizar um transporte prático, de baixo custo e eficiente para o deslocamento dos discentes entre a zona urbana e o campus universitário, que encontra-se distante e onde há baixíssima rotatividade do transporte coletivo”, destacou.

Após o processo de seleção, no qual os discentes manifestaram interesse e responsabilidade para fins de uso da bicicleta, mediante a entrega de uma carta de intenção ao setor responsável, 18 alunos da graduação foram contemplados com esse auxílio.

Carolina Pereira Regis, aluna do oitavo semestre do curso de Pedagogia e uma das beneficiadas com a concessão, afirma que essa aquisição pela Uesb irá ajudá-la muito, pois ela mora a aproximadamente 5 km da Universidade e precisa assistir aulas diariamente. “Eu moro longe e a bicicleta vai facilitar muito a minha vida,”. Ainda segundo a discente, o auxílio, além do aspecto financeiro, ajudará na questão da mobilidade, evitando a depedência do transporte coletivo. "O ônibus tem horário certo e, muitas vezes, eu tenho aula só a partir das 9 horas da manhã e não tem ônibus nesse horário. Antes, eu precisava pegar o ônibus mais cedo, ficar esperando, ou vinha a pé, o que é muito cansativo”, relatou.

Para Cleidiane Pereira da Silva dos Santos, aluna do sexto semestre de Engenharia de Alimentos, que chega a utilizar condução quatro vezes por dia, a bicicleta será um alívio nas contas de casa no fim do mês. “Geralmente, a gente vem de ônibus e fica caro, porque lá em casa são três pessoas que estudam na Universidade, aí, no fim do mês, é uma renda que interfere. Com a bicicleta, vai ficar melhor”, afirmou.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão