assessoria de
  comunicação

31/8/2017
 Conquista: roda de conversa sobre pesquisa em Educação
por Gisele Almeida


O grupo de estudos Circulação de Ideias Pedagógicas no Pensamento Pedagógico Brasileiro Recente (Ciped) realizou, na manhã desta quinta-feira, 31, no campus de Vitória da Conquista, um roda de conversa com o tema “Pensamentos e criações metodológicas na pesquisa em Educação”.

A atividade, que aconteceu no módulo de Pós-Graduação, contou com a contribuição teórica do professor convidado Ricardo Burg Ceccim, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e com a mediação e participação do professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Uesb (PPGed) e coordenador do Ciped, Luís Artur Cestari.

Além disso, o espaço de discussão foi composto por alunos, aspirantes e professores de pós-graduação, que buscam relacionar a pesquisa em Educação com as diversas áreas em que atuam, como Enfermagem, Odontologia, Música, Literatura, Educação Física, entre outras.

De acordo com o professor Luís Cestari, a oportunidade para realização da atividade surgiu com a vinda do professor Ricardo Ceccim para a Uesb, a fim de participar de um banca de examinação de dissertação. Ainda segundo ele, a roda de conversa teve como ponto de partida a relação entre as áreas da Educação e da Saúde, que é uma problemática já trabalhada por Ceccim, no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFGRS. “Estamos compartilhando visões e perspectivas de como estudar a Educação, de como estudar problemas da Educação, de modo mais específico. Como abordar teórico-problematicamente e metodologicamente os objetos de estudo que nos interessam”, completa Cestari.  

O professor Ricardo Ceccim explicou a razão do tema proposto para a atividade. Segundo ele, o objetivo é refletir sobre os estudos em Educação fora do pensamento tradicional e da racionalidade hegemômica, ou seja, trazer à tona a inovação, as experiências de singularização e de criação. “Por isso, eu chamei essa roda de conversa de “Pensamento”, que quer dizer como sair do hegemônico. Pensar, de fato, é derivar para uma outra coisa. “Criações Metodológicas” quer dizer que, se eu estou do lado de fora, preciso inventar, já que do lado de dentro todo mundo já sabe”, explica o professor.   

 

 

 



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão