assessoria de
  comunicação

6/9/2017
 Projeto VivÍncia em Transplantes para Estudantes de Medicina
por Caleb Lima


Com o objetivo de capacitar o aluno de medicina a ter conhecimento técnico-científico humanístico em doação de órgãos, manutenção do potencial doador, transplantes, bem como compartilhar as rotinas de todo o processo e as questões éticas sobre o tema, surge em 2017, sob a orientação da professora Edney Matos, o projeto “Vivência em Transplantes para Estudantes de Medicina”.

A ideia de montar o programa surgiu a partir da constatação da necessidade de inserir os estudantes em atividades práticas, para que estes possam entender o real significado da relação doação/transplantes. Com base em pesquisas realizadas na comunidade médica, uma das maiores dificuldades desses profissionais é quanto a lidar com as situações de morte encefálica, principalmente na comunicação com os familiares dos pacientes. Atualmente, Vitória da Conquista representa um polo importante de captação de órgãos, ocupando a primeira posição no ranking de centros captadores de córnea na Bahia. Por isso, conhecer o funcionamento do Sistema Nacional de Transplantes, os aspectos médicos e legais, diagnosticar a morte encefálica e saber a manutenção do potencial doador, tornou-se uma necessidade para esses futuros profissionais.

A metodologia do projeto acontece da seguinte maneira: a cada 15 dias, são realizadas reuniões para discussões teóricas, com a presença de palestrantes convidados, realizadas no Hospital Geral de Vitória da Conquista. Aliada às discussões, diariamente, um estudante acompanha a professora e a equipe de profissionais nos protocolos de morte encefálica e no ato da captação de órgãos. Palestras nas comunidades hospitalares, escolas, faculdades, universidades, realização de caminhadas, distribuição de panfletos, e a realização da Campanha Setembro Verde, complementam as principais atividades do projeto.

Para participar da atividade de extensão, o aluno precisa ter cursado pelo menos metade da graduação. Além disso, ele passa por um processo de seleção, que inclui a realização de prova escrita sobre conhecimentos gerais, entrevista individual, avaliação do currículo e histórico escolar e interesse no projeto. Por meio da ação, a equipe selecionada torna-se capacitada a realizar, desde a identificação de possíveis doadores, manutenção do potencial doador, até a compreensão da rotina da Organização de Procura de Córneas (OPCs), da Organização de Procura de Órgãos (OPOs) e da Comissão Intra-hospitalar e doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTTs), bem como a elaboração de artigos científicos.

Para saber mais sobre o projeto, entre em contato pelo número (077) 3427- 4584 ou pelo e-mail opohgvc@gmail.com.  

     



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão