assessoria de
  comunicação

28/9/2017
 Prevenção ao suicídio foi tema de palestras em Itapetinga
por Valcelene Amorim


Na última terça-feira, 26, no campus Juvino Oliveira, em Itapetinga, por meio da iniciativa do Núcleo de Saúde e Bem-Estar (Nusbe) e a Coordenação de Recursos Humanos (CRH), aconteceram uma série de atividades com o objetivo de discutir e refletir sobre o suicídio. A programação fez parte das ações desenvolvidas em todo território nacional, em alusão ao “Setembro Amarelo”, que é uma campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada 10 casos de suicídio poderiam ser prevenidos. Mas, para que isso aconteça, é necessário o envolvimento de toda a sociedade.

De acordo com Fernanda Trocolli, enfermeira do Nusbe, falar sobre o suicídio é um dos primeiros passos para a prevenção, uma vez que o tema ainda é tratado como tabu. “O objetivo das palestras é levar o conhecimento para as pessoas sobre a prevenção ao suicídio. Quando ele é detectado com antecedência, a gente pode diminuir em até 90% as tentativas de suicídio no Brasil”, explicou.

Para o professor Carlos Públio, que palestrou sobre as emoções, o autoconhecimento por meio da meditação, método estudado por ele há aproximadamente 20 anos, é um dos caminhos pelo qual a pessoa com alguma desorganização emocional obterá condições de se entender e buscar ajuda. “Se a pessoa tem esse tipo de desorganização interna, ela precisa buscar entender profundamente onde está enraizado esse tipo de sentimento e, a partir daí, se renovar e buscar dentro de si mesmo sua organização”, explicou. Ainda de acordo com Públio, qualquer pessoa, em um determinado momento da vida, pode estar suscetível a sentimentos depressivos, já em algumas pessoas tais emoções são contínuas. Então, “através da pratica da meditação você pode se ajustar internamente e reorganizar essas emoções”, ressaltou.

Dentro da programação, foi realizada uma palestra sobre a prevenção ao suicídio, ministrada pelo psicólogo Luciano Viana, e uma mesa-redonda composta pela equipe multidisciplinar em saúde da Uesb, que é formada por Cássio Montalvão, psicólogo do Espaço de Partilhas e Aprimoramento Humano (Epah); Fernanda Trocolli, enfermeira do Nusbe; Lucimeire Passos, assistente social; Maria de Lourdes Brito Amorim, psicóloga do Programa de Assistência Estudantil de Itapetinga (Prae-It) e o major Edmário José Britto Araújo, da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar de Itapetinga. 

“Essa parceria com a Polícia Militar foi para fortalecer a equipe multidisciplinar em saúde da Uesb e para eles falarem também como é a atuação da polícia frente à prevenção ao suicídio e também quando ele acontece”, destacou Trocolli.

 



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão