assessoria de
  comunicação

2/10/2017
 Plantas daninhas e uso de agrotóxicos foram temas de palestras
por Afonso Ribas


Quando não controladas de modo eficaz em lavouras, as plantas daninhas podem gerar uma perda de até 90% da produção agrícola. Por isso, o controle adequado do mato é de fundamental importância, seja ele feito manualmente, com o uso de instrumentos, ou através da aplicação de agrotóxicos, como os herbicidas. Nesse sentido, a Agrus Consultoria Agropecuária, empresa júnior do curso de Agronomia, e o CREAjr-BA promoveram na tarde desta segunda-feira, 2, o Ciclo de Palestras “Plantas Daninhas e Tecnologia de Aplicação de Agrotóxicos”. O evento aconteceu no auditório do módulo 4 da Uesb, campus de Vitória da Conquista, e teve o intuito de difundir conhecimentos acerca do tema para estudantes das ciências agrárias.

Segundo o diretor de comunicação da Agrus, Wesley Gil Oliveira Silva, a iniciativa surgiu a partir de uma proposta feita pelo CREAjr-BA de trazer a referida discussão para o âmbito acadêmico, após a verificação, feita com base em uma pesquisa com estudantes do curso de Agronomia e do curso técnico em Agropecuária do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep), de que o tema ainda é pouco debatido entre os alunos. “A ideia é proporcionar aos participantes um aprendizado e, ao mesmo tempo, estimular que eles busquem mais conhecimentos sobre o assunto por conta própria, já que a temática costuma ser tratada ainda de forma muito geral nas disciplinas”, disse Silva.

O coordenador regional do CREAjr-BA, Erick S. Queiroz, afirmou que as plantas daninhas e o mau uso de agrotóxicos têm se constituído como problemas graves no campo das ciências agrárias. “Quando o agricultor investe uma determinada verba para comprar um produto agropecuário para controle de plantas daninhas e não sabe como empregar tal tecnologia de maneira correta, pode haver desperdício, uma aplicação ou uso equivocado, o que, no final das contas, vai gerar um prejuízo. Com isso, o objetivo das palestras é, necessariamente, prestar um esclarecimento para os participantes de como fazer o manejo correto das plantas daninhas e dos agrotóxicos a fim de que ele adquira competência para evitar esse tipo de problema”.

A atividade foi ministrada pelos professores Alcebíades Rebouças e Doalcey Rocha Chagas. Rebouças, que ministrou a segunda palestra do evento, reforçou a importância do profissional das ciências agrárias ter noções concretas acerca das formas mais adequadas de se fazer o controle de plantas daninhas com o uso de produtos químicos. “Primeiro, o profissional precisa conhecer aquilo com que ele está lidando, ou seja, saber identificar quais são as plantas que estão causando problemas em uma determinada lavoura. Sabendo isso, será mais fácil para ele encontrar o produto mais adequado, de boa eficiência, de menor custo e que cause o menor dano possível ao meio ambiente quando utilizado. É essa competência que, por meio das palestras, vamos tentar desenvolver nos participantes que estão aqui hoje”, comentou o professor.

Apesar de ter como público-alvo os estudantes da área de Agronomia, também participaram do evento alunos dos cursos de Engenharia Florestal e Biologia. O discente Ravi Azevedo, do curso de Florestal, decidiu participar da atividade, pois segundo ele, as palestras irão agregar valor ao seu currículo. “Os conhecimentos que eu adquirir aqui na palestra serão muito válidos, até mesmo porque eles também podem ser empregados em nossa área”, disse.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão