assessoria de
  comunicação

4/10/2017
 Começa minicurso sobre Gênero e Educação
por Afonso Ribas


Teve início na tarde desta quarta-feira, 4, no campus de Vitória da Conquista, o minicurso “Gênero e Educação: formação inicial de pesquisadores”. O evento faz parte do plano semestral de atividades do Laboratório de Filosofia e Gênero Valdice Soares Pinheiro (Labfg), projeto de extensão vinculado ao Núcleo de Estudos em Comunicação, Culturas e Sociedades (Necssos) e ao Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH).

Segundo o professor Anderson Araújo, coordenador do Labfg, o minicurso possui caráter introdutório, já que as ações do Laboratório têm como principal objetivo formar estudiosos na área de Gênero que possam ampliar as pesquisas acerca desse campo, explorando as suas interfaces com diversas outras áreas de atuação da Universidade, tais como Educação, Comunicação e Literatura. “A área de Gênero engloba um debate contemporâneo que tem sido bastante rico, porém, ainda temos certa dificuldade em ter programas de formação de pesquisadores com essa linha de estudos. Então, nós entendemos que essas atividades são fundamentais justamente para formar futuros pesquisadores que possam concluir seus Trabalhos de Conclusão de Curso, projetos, artigos ou produtos relacionados a Gênero, com interface nas suas áreas, e que depois podem continuar esses estudos em mestrados ou doutorados”, disse Araújo.

O minicurso será realizado durante dois dias e é ministrado pelo professor Benedito Gonçalves Eugênio, coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Currículo, Gênero e Relações e do Programa de Pós-Graduação em Ensino (Ppgen). “A discussão de Gênero perpassa pela compreensão da produção das desigualdades, sobretudo entre homens e mulheres. Então, é um pouco disso que eu irei abordar no minicurso, buscando mostrar como que essas desigualdades chegam à educação, produzindo representações do que é ser homem e do que é ser mulher. Na escola, elas são produzidas a partir de vários marcadores. Gênero é um desses marcadores, assim como raça, classe, sexualidade, que imputam também aos sujeitos diferentes formas de ser verem como menina ou como menino. É um pouco disso que a gente precisa investigar quando vai pensar as questões de Gênero no campo da Educação especificamente”, explicou o professor.

A psicóloga Brenda Luara, aluna especial do Mestrado em Educação, acredita que a atividade irá contribuir com a abordagem da pesquisa que ela pretende desenvolver, na qual estuda uma perspectiva de educação fora da sala de aula, no campo das políticas públicas de assistência social. “Pesquisar sobre Gênero a partir da Educação é também pesquisar os locais de fala de pessoas em situação de vulnerabilidade e risco”.

O minicurso continua nesta quinta, 5, a partir das 14 horas, no Salão do Júri, localizado no módulo 2 de aulas. Às 19 horas, no mesmo local, haverá ainda uma mesa-redonda com apresentação de trabalhos de graduação e dissertações orientadas pelo pofessor Benedito Eugênio. Nesse último caso, as inscrições serão feitas no local.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão