assessoria de
  comunicação

30/10/2017
 Minicurso aborda aprendizagem permanente no meio digital
por Gisele Almeida


Capacitar alunos e professores para o uso de ferramentas digitais relacionadas à inovação acadêmica, bem como permitir que desenvolvam processos de aprendizagem autônoma e permanente para acompanhar os constantes avanços e transformações que acontecem nesse mercado digital. Esses são os objetivos do minicurso intitulado “Artefatos digitais para aquisição de competências", que começou a ser realizado na manhã desta segunda-feira, 30, no campus de Vitória da Conquista.

A atividade faz parte do cronograma de ações do Programa de Extensão Práticas Pedagógicas na Cibercultura, vinculado ao Grupo de Pesquisa Linguagens, Tecnologias e Educação (Gplite), e é ministrada pelo servidor da Uesb, Marcelo Nolasco Barreto, que falou sobre a motivação para o oferecimento de um minicurso que apresente alguns artefatos digitais, mas também gere no aluno a capacidade de sempre buscar, por si só, conhecer as novidades nesse sentido e aprender a aplicá-las. De acordo com Barreto, “o ensino superior ainda está conectado com um ensino muito tradicional. Então, muitos professores, por receio ou por desconhecimento, não oferecem as ferramentas e não permitem que seus alunos desenvolvam determinadas competências, sobretudo, as competências digitais”.

Jorge Santos é bolsista do Programa de Extensão que promove a atividade e enxergou no minicurso uma chance de aprender a usar as ferramentas digitais sempre a seu favor. “Atualmente, tudo que nós fazemos gira em torno da tecnologia. Então, o curso é interessante para os alunos aprenderem a utilizar as ferramentas a seu favor na Universidade, na profissão que exercerá e também no seu cotidiano”, afirmou Santos.

Para Kleber Chaves, que é graduado em Filosofia e faz especialização em Docência no Ensino Superior, o conteúdo do minicurso lhe ajudará na sua atuação como professor. “Compreender as novas tecnologias e as metodologias para utilizá-las certamente facilitará o processo de ensino e aprendizagem, tanto em sala de aula, quanto em outros aspectos da minha vida profissional”, explicou Chaves. Ainda de acordo com o pós-graduando, a promoção de uma atividade como essa é muito importante, principalmente para ele, que veio de fora da Uesb. “Eu acredito que esse tipo de evento seja o canal que liga a comunidade externa a comunidade universitária e possibilita uma troca de conhecimentos sobre tudo que a Universidade produz, permite que esse conhecimento não fique isolado”, completou.

Mais do que esse intercâmbio de conhecimentos, a atividade também oferece uma visão diferenciada do que a maioria das pessoas está acostumada a ter sobre a temática e sobre a aplicação de novas ferramentas digitais. É o que declara Barreto: “trago um olhar diferenciado daquilo que as pessoas estão acostumadas. Então, é a minha perspectiva como ministrante, para que as pessoas tenham as mesmas sensações, ou, pelo menos, se aproximem das sensações que tenho quando utilizo esses artefatos em minha prática cotidiana”.

O minicurso continua no dia 4 de novembro, das 8 às 12 horas, no Laboratório de Tecnologias Digitais, localizado no primeiro andar do Módulo 1 de Aulas.

 

Leia também: 

Projeto de extensão aborda tecnologias digitais na educação



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão