assessoria de
  comunicação

17/11/2017
 Eventos do Odeere tratam das relações étnicas nas redes sociais
por Carlos Santos


Três importantes eventos tiveram início nesta quinta-feira, 16, no campus de Jequié: a 13ª Semana de Educação da Pertença Afro-Brasileira, o 5º Encontro Estadual de Educação e Relações Étnicas e o 1º Colóquio Internacional de Educação das Relações Étnicas.

Promovidos pelo Órgão de Educação e Relações Étnicas (Odeere), os eventos trazem este ano o tema central “Etnicidades, redes sociais e novas formas de apropriação/expropriações de conhecimentos”. Na solenidade de abertura, a coordenadora geral dos eventos, professora Marize de Santana, falou sobre a equipe que trabalhou para realizar as atividades e deu boas-vindas a todos os participantes. “A cada ano, todos que estão envolvidos com a organização esperam por este momento. Quero agradecer a todos que contribuíram e dar boas-vindas a todos e todas as participantes. Que todos aproveitem nossas reflexões nas palestras, cursos e atividades. Muitíssimo obrigado por estarem presentes”, agradeceu Santana.

Em seguida, iniciou-se a conferência de abertura com o tema “Abordagens sobre o corpo negro no ensino artístico/pedagógico de dança”, proferida pela professora da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Suzana Maria Coelho Martins. “O corpo é em si um arquivo vivo que nos permite encontrar memórias, marcas de resistência de um organismo corporificado, isso faz muito sentido quando trabalhamos o corpo em outras culturas”, salientou a conferencista.          

A mediadora da mesa e professora do curso de licenciatura em Dança, Edeise Gomes, disse que a Uesb está muito à frente na discussão dessa temática em relação a outras universidades. “Isso é muito difícil acontecer nesse país e o mais interessante ainda é acontecer no interior da Bahia”, afirmou. Com relação ao tema da conferência de abertura, a professora foi enfática: “nós negros trazemos no corpo essa informação ancestral, é nela que nós dialogamos e transmitimos nosso conhecimento”.

Antônia Ferreira de Souza, funcionária do Odeere, falou sobre sua expectativa para os eventos. “Que os participantes reflitam sobre os subtemas e aproveitem bastante, principalmente no momento que o Brasil está vivendo”, declarou Souza.

Vanessa Aragão, estudante do oitavo semestre de Ciências Sociais da Uesb e aluna do curso de extensão “Gênero, Diversidade Sexual e Raça” do Odeere, veio de Vitória da Conquista para participar das atividades. “Pela nossa conjuntura política, atividades como essas são de fundamental importância”, disse Aragão.

Com a programação, composta de palestras, minicursos, lançamentos de livros, exposição de pôsteres e fotografias, mesas-redondas e atividades culturais, os objetivos dos organizadores são: estudar os discursos dentro e fora das redes sociais entre diferentes grupos étnicos; promover discussões que proporcionem reflexões acerca das novas formas de opressões como o racismo, sexismo, xenofobia, entre outras formas de discriminação; e propiciar debates sobre populações, movimentos sociais e diversos conteúdos sociais em diferentes grupos e redes. Além disso, a intenção dos eventos é ampliar os espaços de debate sobre pesquisas, propostas e reflexões acerca das Relações Étnicas.

O encerramento das atividades será na próxima segunda-feira, 20, data em que se comemora o Dia Nacional da Consciência Negra. Para mais informações, consulte o site dos eventos. 



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão