assessoria de
  comunicação

22/11/2017
 UESB e Embrapa apresentam nova variedade de mandioca
por Gisele Almeida


Na manhã desta quarta-feira, 22, a Uesb, campus de Vitória da Conquista, recebeu agricultores da região Sudoeste da Bahia para o evento “Extensão de recomendação da mandioca BRS Poti Branca". Realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com o Laboratório de Melhoramento e Produção Vegetal da Uesb, a atividade objetivou divulgar a variedade da raiz, que está sendo oficialmente recomendada para a região e é voltada para a produção de farinha e amido.

Desde o ano de 2012, mais de 100 variedades diferentes de mandioca foram avaliadas e passaram por experimentos nas condições de cultivo da região, sendo a Poti Branca uma das que apresentaram melhor desempenho.  Por meio de uma visita à área experimental da Uesb, os agricultores e técnicos presentes tiveram a oportunidade de conhecer os resultados da pesquisa desenvolvida, como informações sobre os formatos das raízes e sobre a qualidade da maniva, que é a muda utilizada para o plantio da mandioca e um fator muito importante no cuidado com a lavoura.

O coordenador do Laboratório de Melhoramento e Produção Vegetal, professor Anselmo Viana, falou sobre a importância do desenvolvimento do trabalho para os pequenos produtores. De acordo com ele, o cultivo de mandioca da região está centralizado em variedades que passaram por desgastes ao longo do tempo. “São variedades que já estão, em função de serem cultivadas há mais de 20 anos, com sérios problemas fitossanitários e com redução de produtividade. Então, um evento como esse traz ao produtor uma opção a mais, algo que ele pode tentar usar na sua lavoura para aumentar a sua propriedade e melhorar o seu rendimento financeiro”, afirmou Viana.    

Nesse sentido, a raiz Poti Branca apresenta algumas vantagens, como o favorecimento da produtividade de raízes e de farinha, por conta do seu alto teor de matéria seca, e a grande produção de material propagativo ou de manivas, já que é uma planta que possui duas ou três hastes retas e grandes. De acordo com o representante da Embrapa, Vanderlei Santos, a grande importância do evento está justamente na distribuição dessas manivas para os agricultores. “Nós vamos distribuir 25 manivas e, embora seja uma quantidade pequena para cada agricultor, o importante é que estamos entregando aos destinatários finais, que são a razão do nosso trabalho, uma variedade que se mostrou uma alternativa, que vem para diversificar o leque de opções de produção por parte dos agricultores”, declarou Santos.   

Jurandy Ferraz de Araújo é morador da cidade de Cândido Sales e cresceu em meio à cultura e cultivo da mandioca. Segundo o agricultor, essa era uma das principais atividades econômicas do munícipio, mas, em decorrência de estiagens, pragas e, principalmente, falta de assistência técnica, a cultura perdeu sua força. A visão de Araújo em relação aos resultados da recomendação da nova variedade é bastante otimista: “pelos dados apresentados, eu acredito que, se nós conseguirmos cultivar e multiplicar essa variedade, vai salvar o futuro da cultura da mandioca no nosso município”.



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão