assessoria de
  comunicação

7/12/2017
 Educação básica é tema de debate no campus de Conquista
por Afonso Ribas


Teve início na manha dessa última quarta-feira, 6, no campus de Vitória da Conquista, o 1º Ciclo de Debates: Complexidade, Ensino, Pesquisa e Extensão na Educação Básica, realizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino e Conhecimento Científico (GEPECC) . O evento tem o intuito de promover o debate sobre trajetórias de construção do conhecimento e da formação científica, a partir do ponto de vista da Teoria da Complexidade, desenvolvida pelo sociólogo Edgar Morin.

De acordo com o professor Renato Figueiredo, coordenador do GEPECC, a atividade surgiu a partir da necessidade percebida pelo Grupo de divulgar não apenas os pressupostos da Teoria da Complexidade, como também as pesquisas feitas a partir de sua abordagem, principalmente aquelas relacionadas à educação básica. “Um dos principais elementos que a teoria do Edgar Morin fornece para que se possa pensar a articulação do ensino, da pesquisa e da extensão na educação básica é a luta contra a fragmentação do saber e a tentativa de um olhar mais contextualizado sobre as disciplinas, de modo que elas possam ser vistas e trabalhadas de modo integrado”, disse.

Figueiredo destacou ainda que o desenvolvimento de pesquisas a partir da perspectiva do Pensamento Complexo segue um caminho diferente do que costuma ser visto na produção científica acadêmica. “O pesquisador precisa assumir a incerteza dos resultados e não aquela busca da verdade ou do dado concreto, que, normalmente, as pesquisas costumam aferir”, afirmou.

Com o objetivo de discutir a visão do pesquisador sobre a construção do saber e ainda as formas de legitimação e sua relação com outros saberes e pesquisas de diferentes domínios científicos, foram convidadas para participar do Ciclo de Debates as pesquisadoras Josineide Silveira de Oliveira e Louize Gabriela Silva de Souza, ambas do Grupo de Estudos da Complexidade (Grecom), da Universidade Federal do Rio Grande de Norte (UFRN). Elas deram início ao evento com a 1º sessão de debates da programação, intitulada “Ensino, pesquisa e extensão: afetos do conhecimento na Educação Básica”.

Em sua fala, Oliveira defendeu que o ensino, a pesquisa e a extensão, pilares fundamentais característicos da educação de nível superior, podem e devem ser trabalhados já na educação básica, uma vez que um dos principais objetivos desta última é a formação cidadã. “Nós não cumprimos a formação de cidadania apenas com o ensino. É preciso que o olhar para a cidadania seja aprofundado pela pesquisa e pela extensão, a fim de que o aluno compreenda quem ele é e o que ele faz nesta sociedade e na cadeia da vida”, comentou a pesquisadora.

A doutoranda Louize Gabriela Silva de Souza, por sua vez, falou um pouco da experiência de como o Grecom tem buscado construir projetos que articulem o tripé ensino, pesquisa e extensão desde a educação básica. “Ao longo do tempo eu tenho percebido que é a partir da troca e do compartilhamento de experiências que a gente tem ganhado em conhecimento. Eu acho que estar aqui na Uesb, falando sobre a experiência que temos no Grupo e compartilhando o que sabemos, nos ajuda a crescer nesse sentido da nossa formação”, destacou.

A graduanda do 5º semestre de Filosofia, Fernanda Dantas, que estava participando do evento, afirmou que a problematização trazida pelo Ciclo de Debates em torno da educação básica é importante, principalmente, pela atual conjuntura do sistema educacional brasileiro. “Provocar essa discussão é necessário para podermos perceber de que forma podemos contribuir para uma educação básica efetiva e melhor”.

 



Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão