assessoria de
  comunicação

9/3/2005
 Biofábrica produz fungo para combater praga da goiabeira


Psilídeo. Esse é o nome de um inseto muito conhecido por produtores de goiaba. Ele reduz a área da folha da goiabeira, comprometendo a produção. Para auxiliar os produtores no combate à praga, com a redução do uso de agrotóxicos, a Biofábrica da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) tem desenvolvido trabalhos com a utilização de fungos.

O fungo em estudo para o combate ao psilídeo é o Beauveria bassiana, que tem sido utilizado com sucesso no controle de outras pragas, como moleque-da-bananeira, broca do coqueiro, broca do café, cochonilhas, lagartas e ácaros. Com a praga da goiabeira, ele será testado numa propriedade que está com a produção altamente afetada, localizada no município de Livramento.

“Esse trabalho em campo será muito importante, porque é difícil fazer a criação do psilídeo em laboratório para observar o ciclo de vida, uma vez que, em condições normais, ele se enrola na folha da goiabeira”, explica a técnica responsável pela Biofábrica, Nilma Oliveira Dias. Ela lembra que os profissionais da Biofábrica acompanham e orientam todo o processo de controle no campo, desde a preparação do produto à verificação dos resultados.

A Biofábrica tem ainda produzido fungos que combatem doenças como a podridão da flor do maracujá e a vassoura de bruxa. No último caso, o fungo utilizado é o Trichoderma stromaticum, que tem sido amplamente utilizado nas lavouras de cacau do sul do Estado.


Assessoria de Comunicação
indique essa matéria para um amigo
Versão para impressão