Quinta-feira, dia 29 de junho de 2017
imagem do topo logo

INFORMES

(1) 1ª Circular do II Sevaling

(2) Poderão realizar a inscrição por e-mail (sevaling.uesb@gmail.com), até o dia 16 de maio, os interessados em participar na modalidade OUVINTE e dos MINICURSOS abaixo:

- Metodologia da Pesquisa Dialetal:
Prof. ª Dr.ª Marcela Moura Torres;

- Breve Introdução aos Modelos Baseados no Uso
Profª. Drª. Maria Luiza Braga (poderá se inscrever até o dia do evento).




APRESENTAÇÃO

II Seminário de Variação e Mudança Linguística no Sudoeste da Bahia - SEVALING

O II Seminário de Variação e Mudança Linguística no Sudoeste da Bahia - SEVALING surgiu graças ao empenho de pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Linguística Histórica e do Grupo de Pesquisa em Sociofuncionalismo - CNPq, o Grupo Janus (Janus , o deus da Paz, é uma divindade romana que, por ter uma cabeça com duas faces direcionadas a sentidos opostos, vê o passado e o futuro simultaneamente como se fosse o presente. O deus Janus é responsável por abrir portas e caminhos. Essa é a representação do nosso Grupo de Pesquisa), recebendo, para tanto, apoio financeiro e logístico de órgãos de fomento à pesquisa, extensão e divulgação do conhecimento como PAEP/CAPES, UESB, dos Programas de Pós-Graduação em Linguística – PPGLin e Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras.

O Grupo Janus desenvolve estudos relacionados à variação e à mudança linguísticas, priorizando abordagens que busquem interrelacionar a história social da Língua Portuguesa a fim de explicar os fenômenos da língua em uso, identificando, no tempo, no espaço e nas práticas sociais, a língua em seus diversos matizes.  Assim, a prática da pesquisa cotidiana levou-nos a idealizar um espaço de discussão, de troca de experiências e, principalmente, de divulgação do conhecimento. Afinal, perguntamo-nos não é justamente em um Seminário que se lançam as sementes maduras para que deem frutos? Eis que aqui agrupam as sementes e os frutos das múltiplas realidades vivenciadas diuturnamente por aqueles que falam o português do Brasil.

Nesse sentido, o II Sevaling coloca-se com o propósito de reunir estudos sociovariacionistas e (sócio)funcionalistas, bem como pesquisadores que tenham  realizado descrições e análises de fenômenos linguísticos relacionados à variação e à mudança linguística, abrangendo diversos corpora  e pondo em destaque muitas pesquisas realizadas em nível de Pós-Graduação (lato sensu e stricto sensu) e em nível de Graduação, mostrando, assim, a condição de realizar um produtivo diálogo sobre variação e mudança entre os diversos estratos que compõem o fazer acadêmico.

Para tanto, o Seminário organizado pelo Grupo Janus abre portas e caminhos para  contribuição de pesquisadores, entre outras, das áreas da Fonética e da Fonologia, da Morfologia e da Sintaxe, da Lexicologia e da Dialectologia, da Semântica e da Pragmática, do Texto e do Discurso, da Linguística Aplicada e, também, estudos dedicados à importância da compreensão de fenômenos ligados à variação e à mudança no ambiente escolar para que possamos contribuir com a formação e reflexão dos professores das redes municipal e estadual de Vitória da Conquista e da microrregião.

Costuma-se dizer que uma tarefa grandiosa é feita com várias mãos, mas, ousando ir além da figura de linguagem, podemos dizer, sem medo de errar, que o II Sevaling, assim como aconteceu na primeira edição, foi pensado e executado por várias mãos e corações, que batem em uma mesma sintonia, em uma harmonia quase sinfônica, produzindo, portanto, o efeito desejado: fazer circular o conhecimento que alimenta a discussão em torno da variação e mudança.

O II Seminário de Variação e Mudança Linguística no Sudoeste da Bahia acontecerá na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campus de Vitória da Conquista, nos dias 17, 18 e 19 de maio de 2017. Serão três dias com Conferências, Mesas Redondas, Simpósios Temáticos, Comunicações Orais, Minicursos e Intervenções Culturais, nos quais questões linguísticas correlacionadas à realidade social serão socializadas, aprofundadas e, quiçá, propostas de ações serão (re)pensadas com vistas à aceitação da heterogeneidade da língua como um elemento constitutivo do próprio sistema linguístico.