CRISÂNTEMO Dendranthema grandiflora

foto


Pertencentes da família Compositae, o gênero possui mais de 100 espécies e mais de 800 variedades comercializadas mundialmente.

            Originário da Ásia, foi adotado como símbolo nacional pelo Japão. Chegou na Europa por volta de 1700 onde foi melhorado geneticamente, para chegar às variedade atuais. Hoje em dia destacam-se o tipo "margarida", bastante comum no Brasil e na Europa; o "spider" com pétalas tipo alfinete e o "pom pom" crespo e arredondado. Quanto ao tamanho, dividem-se entre crisântemos, largos, médios e minis, dependendo da finalidade (corte ou vaso). As cores podem ser as mais diversas possíveis, destacando-se: o branco, amarelo, vermelho, lilás, roxo, salmão e a mistura dessas cores em tais variegados.

            O crisântemo é uma planta de dia curto, florescendo naturalmente no inverno. Para obter uma produção durante o ano todo é necessário fazer o plantio em estufas durante o verão, onde técnicas de escurecimento permitem a obtenção artificial de plantas floridas. Dependendo da época do ano e da variedade, o ciclo pode ser de 12 a 14 semanas. O primeiro passo é a obtenção de mudas; pequenas estacas de 5 cm que são retiradas das ponteiras das plantas matrizes. Estas mudas são tratadas com reguladores de crescimento, sendo posteriormente plantadas em substrato adequado, como palha de arroz carbonizada. Após 2 semanas, as mudas enraizadas vão para o local definitivo (terra de canteiros ou de vasos), que já devem estar devidamente preparados com esterco, pó-de-xaxim, areia, etc.

Dependendo da variedade e da época de plantio, as plantas devem receber iluminação noturna por 2 a 4 semanas para estimular o crescimento vegetativo. Nesta também deve ser realizado o "pinch", que significa a eliminação do broto central para favorecer o surgimento das brotações laterais. Quando as plantas atingem cerca de 40 cm (vaso) ou 80 cm (corte), inicia-se (o verão) a indução ao florescimento através do fechamento da estufa com plástico preto durante algumas horas do dia, pois nesta fase as plantas necessitam de aproximadamente 14 horas de escuridão/dia. Esta fase dura de 3 a 4 semanas, retirando-se o plástico preto quando os botões florais começarem a mostrar cor. Depois são mais 2 semanas para as flores abrirem completamente.


            O crisântemo é suscetível a algumas doenças (ferrugem, podridão das raízes e hastes, Botrytis, etc.) e a algumas pragas (mosca minadora, tripes, ácaros, etc.) o combate deve ser preventivo.

            Um aspecto interessante da cultura de crisântemo é o cultivo de algumas espécies para produção de inseticidas naturais.



Flor de corte (maço): Trocar água a cada 1-2 dias utilizando água cristalina.

Cortar diagonalmente 1 cm da base da haste toda vez que trocar a água para facilitar a absorção. Eliminar as folhas que possam ficar em contato com a água.

Flor de vaso: Colocar as plantas em local bem iluminado e arejado, porém não sob luz direta.

Regar de 2-3 vezes por semana evitando encharcar a planta.

Eliminar flores e folhas secas/murchas.


 Atenção: seguir apenas uma dessas recomendações não garante plantas saudáveis. Dedique-se mais às plantas no seu dia-a-dia.



|Floricultura Bahia| Floricultura Brasil| Floricultura no Mundo|
|
Pesquisa na UESB| Programa da Disciplina| |Reguladores de Crescimento|
|
Sites na Web-Floricultura| |Plantas dentro de casa| |Propagação flores de Vaso| |Substratos|